24/10/2018

DIRETOR – EDIÇÃO 05 – 2018-2019

Fazendo o bem no mundo

 

Você sabe em que a Fundação Rotária se baseou para escolher as seis áreas de enfoque para trabalhar? Veja os dados a seguir, retirados do site oficial do Rotary:

Paz e prevenção/resolução de conflitos

– Anualmente, 20 mil pessoas são mutiladas ou mortas por minas terrestres;
– O número de refugiados em decorrência de conflitos armados ou perseguições chega a 51 milhões;
– Entre as vítimas de conflitos armados, 90% são civis, dos quais pelo menos a metade são crianças;
– Mundialmente, cerca de 300 mil soldados mirins estão envolvidos em conflitos armados.

 

Prevenção e tratamento de doenças

– Um bilhão de pessoas por ano sofre de doenças tropicais que não são tratadas, como dengue e lepra;
– O mundo precisa de mais 2,4 milhões de médicos, enfermeiras, parteiras e outros profissionais de saúde;
– Há 57 países com menos de 23 agentes de saúde para cada 10 mil pessoas;
– Em decorrência de despesas médicas, 100 milhões de pessoas acabam na miséria anualmente;
– Uma em cada seis pessoas não tem condições de pagar por atendimento médico.

Recursos hídricos e saneamento

– É de 2,5 bilhões o número de pessoas sem acesso a instalações sanitárias adequadas;
– Diariamente, 1.400 crianças morrem de doenças causadas pela falta de saneamento e água potável;
– Em algumas regiões da África, as mulheres passam seis horas por dia buscando água;
– A água potável não está acessível para 748 milhões de pessoas.

Saúde materno-infantil

– Todo ano, 6,3 milhões de crianças menores de cinco anos morrem em decorrência de má nutrição, assistência médica precária e instalações sanitárias inadequadas;
– Há 222 milhões de mulheres que não querem engravidar e não têm acesso a contraceptivos seguros e eficazes;
– Na África Subsaariana, uma em cada 39 mulheres morrerá devido a complicações durante a gestação ou parto;
– Com o acesso a cuidados pré-natal e profissionais treinados da área de saúde, 80% das mortes maternas poderiam ser evitadas.

Educação básica e alfabetização

– O mundo precisa de mais 1,7 milhão de professores para fornecer educação primária globalmente;
– Há 57 milhões de crianças que não vão à escola;
– É de 781 milhões o número de pessoas acima dos 15 anos de idade que são analfabetas – 60% são mulheres.

Desenvolvimento econômico e comunitário

– Há 1,4 bilhão de pessoas, metade das quais empregada, vivendo com menos de 1,25 dólar por dia.

Na América do Sul, os Subsídios Globais são, quase em sua totalidade, destinados a fornecer equipamentos para hospitais e casas de saúde. Teremos de conhecer melhor as nossas comunidades para sabermos exatamente quais áreas estamos deixando de atender.
Também penso que nós, os rotarianos, devemos utilizar melhor nossas lideranças para influenciar os governantes no sentido de destinarem o dinheiro público a causas prioritárias.

Certa vez, estava em uma cerimônia de entrega de equipamento pelo Rotary e o prefeito, ao discursar, elogiou nossa organização dizendo que, não fosse por ela, aquele equipamento não poderia ter sido adquirido pelo município. Quando estava indo embora, porém, encontrei o prefeito entrando em um carro de luxo comprado com dinheiro público e que valia mais de cinco vezes o custo do equipamento.

O rotariano, além de doar, deve, sim, cobrar das autoridades a melhor utilização do dinheiro público. Isso se chama cidadania, e você, como pessoa esclarecida, deve despertar esse sentimento nos menos esclarecidos.

Suas atitudes devem inspirar as pessoas na prática de seus direitos e deveres. Portanto, Seja a Inspiração

Paulo Augusto Zanardi

Diretor do Rotary International

Gestão 2017-2019 | Zonas 22 e 23

Rotary Club de Curitiba-Cidade Industrial | Paraná – Brasil

Compartilhe:

Sobre Revista Rotary 4420

Revista Rotary 4420

  • Email

Enviar comentário

*