21/01/2019

PRESIDENTE – EDIÇÃO 08 – 2018-2019

Em minhas viagens no ano passado, visitei muitos clubes e distritos fortes e dinâmicos que estão transformando suas comunidades. Quando assisto às suas reuniões, posso sentir a energia. Quando conheço seus associados, vejo que são Pessoas em Ação. E, quando olho para suas comunidades, vejo o impacto do seu trabalho.

Também visitei comunidades com Rotary Clubs que não eram mais do que clubes sociais. Nunca deveria ser assim. Felizmente, há uma abordagem simples que, na minha opinião, pode ajudar a revitalizar qualquer clube.

Gostaria de desafiar todos os Rotary Clubs a fazerem pelo menos um projeto humanitário de alto impacto. Cada clube já tem o potencial e os recursos para que isso aconteça, e o poder de mudar as vidas das pessoas completamente.

Não é preciso ter milhões de dólares. Um dos projetos mais transformadores dos quais participei envolveu a entrega de um veículo da marca Jeep a um grupo de parteiras no Haiti. Quando perguntamos o que poderíamos fazer para ajudá-las, elas nos disseram que precisavam de uma maneira de chegar às mulheres grávidas de uma parte remota do país. Compramos o carro, pintamos de rosa e colocamos o logotipo do Rotary nele. Três anos depois, voltamos para acompanhar o andamento do projeto. As parteiras estavam entusiasmadas com os resultados: a taxa de mortalidade de mães e bebês daquela região havia caído em 50%.

Isso é o que chamo de serviço transformador.

Como nenhum veículo dura para sempre, após oito anos na estrada, não dava mais para usá-lo. Então, compramos um Land Cruiser rosa da Toyota, que ainda está na estrada, permitindo que as parteiras prestem atendimento pré-natal às mulheres daquela região remota.

O que torna um projeto transformador? Ele não precisa envolver muito dinheiro, mas tem que chegar às pessoas e ter um grande impacto na comunidade. Essa é a chave, e é aí que entra um planejamento cuidadoso e uma pesquisa detalhada. Então, faça a sua pesquisa, aproveite seus recursos e busque parcerias que possam aumentar seu impacto. E, depois disso, entre em ação.

É claro que o serviço é apenas parte do que um clube dinâmico deve oferecer. Ele também deve ter bons oradores, formar líderes, envolver o Rotaract e o Interact e agregar valor à associação, além de bons motivos para que todos participem dos eventos do Rotary.

Se seu clube for transformador e bem organizado, tudo o mais virá na sequência. Os associados ficarão envolvidos e novos associados ficarão ansiosos para se juntar a vocês. Será mais fácil arrecadar fundos, pois as pessoas adoram doar quando percebem como seu dinheiro está fazendo a diferença e quando sabem que a organização é responsável. Seu clube será dinâmico, relevante e ativo e será a inspiração para os associados e a comunidade que ele atende.

 

Barry Rassin

Presidente do Rotary International

Ano Rotário 2018-2019

Rotary Club de East Nassau | Bahamas

Compartilhe:

Sobre Revista Rotary 4420

Revista Rotary 4420

  • Email

Enviar comentário

*