25/03/2019

Subsídio Global viabiliza primeiro ambulatório de fisioterapia para hemofílicos do Litoral Paulista

Projeto foi concebido pela parceria entre Unisanta, Rotary Club de Santos-Porto, Fundação Rotária, iniciativa privada e parceiros internacionais, ampliando atendimentos gratuitos em diversas especialidades

Da Redação Revista Rotary 4420.
Fotos: Divulgação Unisanta | Rotary Distrito 4420.

O Distrito 4420 do Rotary International entregou mais um projeto de Subsídio Global da Fundação Rotária. Trata-se do Centro Metropolitano de Recuperação Funcional, instalado dentro da Universidade Santa Cecília (Unisanta), em Santos/SP. A ação foi possível pela união de forças da Fundação Rotária, do patrocinador local Rotary Club de Santos-Porto (Distrito 4420), do patrocinador privado Nicom Comércio de Materiais para Construções e dos parceiros internacionais Rotary E-Club of 9920 Francophone (FRA) e o Distrito 5330 (EUA). A parceria permitiu que novos equipamentos e tecnologias fossem entregues à Unisanta, responsável pela continuidade técnica, científica e acadêmica do local. Cerca de R$ 371 mil foram investidos em equipamentos e tecnologias para a inauguração do complexo fisioterápico.

O estabelecimento chega para preencher uma lacuna regional e realizar atendimento inédito para pacientes hemofílicos. Ele foi inaugurado pela Faculdade de Fisioterapia da Universidade Santa Cecília e pelo Rotary Club de Santos-Porto em 25 de março, dando origem ao primeiro Ambulatório de Fisioterapia e Recuperação Funcional de Hemofilia e Coagulopatias Hereditárias do Litoral Paulista, numa área ampliada da Clínica de Fisioterapia da Unisanta. A hemofilia é uma doença genético-hereditária que se caracteriza por desordem no mecanismo de coagulação do sangue e manifesta-se quase exclusivamente no sexo masculino. O local será pioneiro na Baixada Santista/SP.

De acordo com a hematologista do Hemonúcleo de Santos e associada do Rotary Club de Santos-Porto, Dra. Rosane Rezende, os pacientes hemofílicos da Região tinham dificuldades para a realização de tratamento fisioterapêutico, pois não existia um local específico para isso. “Somos referência para tratamentos de hemofilia e outras doenças da coagulação, mas não tínhamos para onde encaminhar os hemofílicos porque eles têm muitas doenças nas articulações por causa de sucessivos sangramentos. Foi aí que resolvemos procurar a Unisanta para propor uma parceria e deu certo”. A proposta foi levada ao Santos-Porto que, junto à Fundação Rotária, financiou os equipamentos adquiridos.

O local possui equipamentos com tecnologia mundial de ponta para obter ação cicatrizante, anti-inflamatória, analgésica, de fortalecimento muscular e de prevenção de deformações. Ainda segundo Rosane, “foram comprados aparelhos que nem o serviço privado possui. O objetivo é prestar atendimento para os nove municípios da Baixada Santista, proporcionando um ganho na qualidade de vida dos pacientes atendidos”, afirma a hematologista. Agora, a comunidade terá tratamento completo: fator de coagulação (disponibilizado pelo Ministério da Saúde); médicos, aplicações, profilaxia e remédios (disponibilizados pelo Hemonúcleo), e atendimentos fisioterapêuticos (disponibilizado pela Unisanta).

Somos referência para tratamentos de hemofilia e outras doenças da coagulação, mas não tínhamos para onde encaminhar os hemofílicos.

– Dra. Rosane Rezende –

 

Próximos passos do projeto

A próxima etapa é disponibilizar atendimento odontológico na Clínica de Odontologia da Unisanta. Para a diretora de Saúde da Unisanta, Dra. Caroline Teixeira, a universidade e o Rotary continuarão desempenhando um importante papel social junto às comunidades locais da Baixada Santista. “Somos referência no atendimento de amputados, na área de ginecologia e obstetrícia, neurologia (adulto e infantil), ortopedia, traumatologia, fisioterapia esportiva e dermatologia. Nossa equipe deseja níveis de excelência no atendimento de pacientes hemofílicos e outras coagulopatias hereditárias, como anemia falciforme, entre outras”, conclui Caroline, de forma muito entusiasmada.

De acordo com o diretor da Faculdade de Fisioterapia da Unisanta, Dr. Ivan Barreira Cheida Faria, equipamentos com tecnologia avançada ajudam a melhorar a qualidade de vida dos pacientes e amenizam deformidades articulares provenientes dos quadros de hemorragias. Segundo ele, a Unisanta passou a ter três equipamentos de Campos Magnéticos Pulsados, indicados para acelerar a regeneração tecidual, ação anti-inflamatória e analgésica. O primeiro aparelho deste tipo chegou ao Brasil há apenas seis anos. A clínica ainda conta com dois Mobilizadores Passivos Contínuos (CPM), indicados para prevenir deformações articulares e recuperar a mobilidade articular diminuída. “Os hemofílicos têm hemorragias articulares. Estes aparelhos ajudarão na mobilidade e impedirão deformações”, explica.

Nossa equipe deseja níveis de excelência no atendimento de pacientes hemofílicos e outras coagulopatias hereditárias, como anemia falciforme, entre outras.

– Dra. Caroline Teixeira –

 

Referência com atendimento ampliado

Os equipamentos foram incorporados à Clínica Universitária de Fisioterapia da Unisanta, que agora incorpora o Centro Metropolitano de Recuperação Funcional, ampliando as especialidades de atendimento. O local, entre os mais bem equipados serviços de Fisioterapia e Recuperação Funcional do Brasil, passará por uma ampliação de 126 metros quadrados. A maioria dos equipamentos será trocada por aparelhos com alta tecnologia no tratamento de diversas patologias. “Teremos um estúdio de Pilates, a Mecanoterapia será substituída por novos equipamentos da marca Life Fitness, macas motorizadas, aparelhos avançados de eletroterapia, entre outros. Tudo isso é resultado do engajamento de duas instituições, que sempre visaram proporcionar o bem ao próximo, de forma voluntária e coletiva”, afirma a Dra. Caroline.

De acordo com ela, as mudanças irão favorecer tanto a população, que recebe os atendimentos, quanto os alunos estagiários da Faculdade de Fisioterapia. “Além de tudo, as mudanças beneficiarão também o nosso aluno estagiário, que conta com uma estrutura diferenciada para o aprendizado de novas técnicas em sua área profissional e terá a possibilidade de utilizar e manipular no paciente aparelhos dificilmente encontrados numa universidade. Continuaremos beneficiando a população, que já recebe todo o atendimento com qualidade e de forma gratuita pela Unisanta ao longo dos anos, totalizando mais de 40 mil atendimentos anuais e gratuitos”, conclui a diretora.

Para Carlos Torci, Governador do Distrito 4420, trata-se de uma grande parceria entre a Unisanta, o Rotary Club de Santos-Porto, a Fundação Rotária, iniciativa privada e parceiros internacionais, com foco conjunto na promoção do bem comunitário. Para ele, os pacientes serão bem atendidos com a mão-de-obra dos alunos e professores especializados. “O Rotary pensa de forma global, mas age localmente nas comunidades. Além do voluntariado presente em nosso ideal de servir, temos como responsabilidade conectar agentes transformadores. Foi isso que ocorreu neste maravilhoso projeto de Subsídio Global. Fico contente em saber que os nossos recursos serão bem utilizados”, parabenizou ele.

Para Alexandre Medeiros, Presidente do Rotary Club de Santos-Porto, a comunidade é a grande beneficiada com esta parceria. “Equipado com aparelhos da mais alta tecnologia e profissionais de renome internacional, o local potencializará o auxílio aos pacientes de todas as classes sociais a terem uma melhor qualidade de vida, visto que o projeto é inovador e totalmente gratuito. O Rotary sempre dará apoio à comunidade por meio de parcerias que potencializem projetos sustentáveis e que cubram as lacunas sociais deixadas pelo poder público. As parcerias com a Unisanta, que está na vanguarda da produção de conhecimento acadêmico regional, são ótimo exemplos disso”, finalizou.

Além do voluntariado presente em nosso ideal de servir, temos como responsabilidade conectar agentes transformadores. Foi isso que ocorreu neste maravilhoso projeto.

– Carlos Torci –

 

* Com informações da Assessoria de Comunicação da Unisanta.

  • 1/105
  • 2/105
  • 3/105
  • 4/105
  • 5/105
  • 6/105
  • 7/105
  • 8/105
  • 9/105
  • 10/105
  • 11/105
  • 12/105
  • 13/105
  • 14/105
  • 15/105
  • 16/105
  • 17/105
  • 18/105
  • 19/105
  • 20/105
  • 21/105
  • 22/105
  • 23/105
  • 24/105
  • 25/105
  • 26/105
  • 27/105
  • 28/105
  • 29/105
  • 30/105
  • 31/105
  • 32/105
  • 33/105
  • 34/105
  • 35/105
  • 36/105
  • 37/105
  • 38/105
  • 39/105
  • 40/105
  • 41/105
  • 42/105
  • 43/105
  • 44/105
  • 45/105
  • 46/105
  • 47/105
  • 48/105
  • 49/105
  • 50/105
  • 51/105
  • 52/105
  • 53/105
  • 54/105
  • 55/105
  • 56/105
  • 57/105
  • 58/105
  • 59/105
  • 60/105
  • 61/105
  • 62/105
  • 63/105
  • 64/105
  • 65/105
  • 66/105
  • 67/105
  • 68/105
  • 69/105
  • 70/105
  • 71/105
  • 72/105
  • 73/105
  • 74/105
  • 75/105
  • 76/105
  • 77/105
  • 78/105
  • 79/105
  • 80/105
  • 81/105
  • 82/105
  • 83/105
  • 84/105
  • 85/105
  • 86/105
  • 87/105
  • 88/105
  • 89/105
  • 90/105
  • 91/105
  • 92/105
  • 93/105
  • 94/105
  • 95/105
  • 96/105
  • 97/105
  • 98/105
  • 99/105
  • 100/105
  • 101/105
  • 102/105
  • 103/105
  • 104/105
  • 105/105
Compartilhe:

Sobre Revista Rotary 4420

Revista Rotary 4420

  • Email

Enviar comentário

*